Juventude ativa!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Barzinho Cristão

0 comentários

BARZINHO CRISTÃO

Vai acontecer na Comunidade mais uma edição do Barzinho Cristão! Caldos, música e muita animação vão agitar a noite desse domingo na Comunidade!
Teremos deliciosos caldos, música ao vivo com a Banda Juventude Ativa, muito louvor e animação!
Começamos com a Missa, com nosso pároco, Padre Sandro, às 17h, e logo após acontecerá o nosso evento!
Então anote aí: Domingo, 23/07, às 17h, na Comunidade Santa Clara de Assis, no bairro Sol Nascente!
Temos um encontro marcado hein!
Contamos com a presença de todos!
Venha ser um jovem de atitude conosco!!
Paz e Bem!
#VEMSERUMJOVEMDEATITUDE

terça-feira, 18 de julho de 2017

Mês do Dízimo

0 comentários
Julho: Mês do Dízimo
Neste mês de julho todos nós somos convidados a meditar a nossa responsabilidade e participação na comunidade Cristã através do Reconhecimento e Devolução do Dízimo. Sabemos que “todos os dízimos da terra são propriedades do Senhor” (cfLv 27,30) e por isso a nossa fidelidade deve ser constante. Sendo assim nos comprometemos de forma direta com o anuncio do Evangelho difundido através da Igreja que é corpo místico de Cristo, e é na Igreja que devolvemos a Deus o dízimo de tudo que Ele nos dá: “Trazei integralmente o dízimo ao tesouro do templo. Que haja alimento na minha Casa” (cf Ml 3,10).
Não podemos deixar de progredir na consciência sobre o nosso papel na comunidade. Estamos construindo juntos o nosso céu e estamos contribuindo para que outras pessoas distantes ou que se afastaram da nossa religião percebam o chamado que Deus lhes faz insistentemente e assim experimentem a vida nova que traz a conversão e a convivência fraterna entre irmãos – filhos do mesmo Pai Celeste.
Quanto mais conscientes, mais nos sentimos corresponsáveis pelo dinamismo da comunidade e mais contribuímos em todos os sentidos para que o Evangelho, de fato, seja proclamado a todas as gentes.
Aproveitemos este mês de julho, que para nós, católicos do Brasil, comemoramos o mês do dízimo, para nos aprofundar na importância e no valor que tem um dizimista para a construção do Reino de Deus em nosso meio. Ser Dizimista é questão de fé!

Seja Dizimista!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

II Festival de Música Católica

0 comentários

II Festival de Música Católica

Comunidade Santa Clara


Está chegando!! A festa da nossa padroeira, Santa Clara, e também o nosso Festival de Música Católica!!
O festival vai acontecer no dia 12/08, a partir das 20:30hrs. As apresentações serão julgadas por 4 jurados, músicos católicos da cidade.
O festival é uma boa oportunidade para músicos e bandas católicos mostrarem suas melodias e composições. Poderão participar artistas solo, duplas ou conjuntos, de forma acústica. Atenção: só serão aceitas músicas inéditas! 
O primeiro lugar irá ganhar um prêmio de R$100,00 e troféu. Os segundo e terceiro lugares vão ser premiados com troféus e brindes.
As inscrições podem ser feitas pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScyUXCzvPQV9sRhnz13_YHcUoJ8vjlYrpCAcSRMY7I3NzhTSw/viewform ou na Comunidade, após a Celebração do domingo.

Esperamos vocês!! Paz e bem!!




quinta-feira, 15 de junho de 2017

2 comentários

Nosso Canal no Youtube

Nosso canal no Youtube também está voltando a ativa. Vídeos novos começarão a ser postados até o final de Junho. Por enquanto, estamos organizando tudo para que você tenha a melhor experiência durante o uso das nossas redes sociais. Então, corre lá no Youtube e digite "Juventude Ativa!JÁ!" e já vá se inscrevendo e ativando as notificações! Em breve, muita diversão e novidades para você!
Digite "Juventude Ativa!JÁ!"

Retorno das Atividades do Blog

3 comentários

Retorno das Atividades do Blog

Criação da Equipe de Comunicação- Nosso blog vai voltar a ativa! Com o apoio de integrantes do grupo, vamos voltar a abastecer o blog com muito conteúdo legal para você!
Fotos, avisos, matérias, novidades... Tudo que acontece na nossa comunidade, no nosso grupo e na Igreja Católica vai estar sempre se atualizando aqui!! Contamos com a participação de vocês, enviando sugestões, e qualquer coisa que vocês queiram ver aqui no blog! 
Nos vemos nas próximas postagens!
Até!
Acompanhe!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

PAPO JOVEM: Irmãs Unidas: Santas Clara e Inês de Assis

0 comentários

Irmãs Unidas: Santas Clara e Inês de Assis

Clara

Clara queria ser freira, mas seu pai, que já era muito rico, queria casá-la com alguém que aumentasse a fortuna da família. Clara, com a permissão da mãe e consentimento do Bispo foge de casa numa madrugada estrelada, para a igrejinha de São Damião, onde Francisco lhe corta o cabelo, sinal de consagração a Deus.

Inês

Clara tinha uma irmã mais moça de quatorze anos, de nome Inês. Esta, não suportando a separação e animada por Clara que orava por ela, poucos dias depois, abandonou também a casa e fugiu para o convento de Santo Ângelo das irmãs Beneditinas, onde Clara estava hospedada até conseguir um convento próprio.

Doze homens fortes e bem armados, comandados pelo tio Monaldo, receberam ordens do pai das moças para trazer ao menos Inês de volta, ainda que por meios violentos. Diante daquela demonstração de força, as freiras de Santo Ângelo decidiram mandar a jovem embora.

E agora?

Inês, não aceitou ir, arrastada pelos cabelos e espancada com brutalidade, ela gritava, pedindo socorro a Clara que rezava, invocando ajuda de Deus. De súbito, o corpo de Inês torno-se pesado e rígido como um bloco de pedra. Os doze robustos homens esforçam-se por arrastá-la. Tomado de fúria, o tio tentou esmagar-lhe a cabeça com suas luvas de ferro, mas fica com o braço paralisado no ar. Clara, então, aproximo-se, tomou sua irmã toda esfolada, semimorta, no colo e a levou para dentro do convento. Que coragem! Você lutaria assim por sua vocação?

Anos depois, outra irmã de Clara e Inês, a Beatriz foi juntar-se a elas no convento. E após a morte do pai, as três irmãs receberam também a mãe no convento das Clarissas, em consideração a primeira das seguidoras de São Francisco: Santa Clara de Assis.

De onde veio a força de Clara e Inês? Pequenas, delicadas, jovens, frágeis… e venceram um exército! De onde vinha a força de Clara e Inês de Assis? Do Espírito Santo de Deus, peça a Ele a força que você precisa para permanecer fiel a Jesus.

terça-feira, 30 de julho de 2013

PAPO JOVEM: Por que temos tanto medo de ser felizes?

0 comentários

Por que temos tanto medo de ser felizes?


Encontrar a felicidade não é o mais difícil. O difícil é optarmos por ela. Vivemos pedindo pra Deus que realize nossos sonhos para que possamos ser mais felizes, mas esquecemos que Ele é o autor da nossa estória e confiamos pouco no que ele nos oferece.


E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas. E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes. Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E, encheram-nas até em cima. E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, e disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele. (João 2:1-11)


O primeiro milagre de Jesus ocorreu em um momento que havia acabado o vinho de uma festa de casamento, que ali representava a alegria das pessoas que comemoravam uma união conjugal. Jesus ao transformar a água em vinho, trás de volta a alegria das pessoas que estavam alí para festejar, e é isso que ele pretende fazer na nossa vida, ele quer transformar a nossa vida triste representada pela água, em alegria, representada pelo vinho. Não existe motivo para vivermos na tristeza se o próprio Deus quer nos trazer a felicidade, então: por que nós hesitamos em aceitá-la? A resposta é bem clara: MEDO DA MUDANÇA! Apesar de querermos uma transformação para melhor tememos que a obra de Deus não nos agrade, uma grande besteira. Todos que provaram do vinho produzido pelo milagre de Jesus puderam perceber o quão bom era aquela bebida, muito melhor que a que era servida anteriormente, e assim também é a nossa mudança por Jesus, quando a provarmos perceberemos o tanto que ela é melhor para nós. A única coisa que devemos fazer é obedecer a vontade de Deus, como fizeram os serventes cumprindo o que Jesus pediu.

Apesar do caminho da felicidade então ser simplesmente ouvir a vontade de Deus, nos deparamos com um outro problema, como ouvi-la? As respostas estão nos detalhes que somente um coração cheio do Espirito Santo é capaz de perceber. Enchemos nossos corações do Espírito procurando estar junto dele por meio de orações, da comunhão, da confissão.

A ausência dessa intimidade com o Espírito Santo é que nos faz pedir tanto a felicidade e deixá-la escapar pelas nossas mãos. Quantos de nós não pedimos tanto para que nossos relacionamentos amorosos sejam corrigidos, pedimos que sejamos felizes no namoro, que paremos de sofrer por aquela pessoa amada, ou para que a pessoa certa apareça na nossa vida? Pedimos muito, mas não reparamos no que Deus vem preparando para nós, não percebemos que muitas das nossas decepções na verdade são a revelação de Deus de que devemos mudar nossas condutas ou até mesmo que aquela pessoa não é a certa para nós. As vezes pedimos tanto para que Deus concerte nossos namoros, porque nossas namoradas ou namorados não são aquilo que queríamos e pedimos grandes mudanças para aquela pessoa. Mas, às vezes Deus coloca as pessoas certas bem ao nosso lado, nos fazendo bem, e pelo medo da mudança continuamos com a pessoa errada e deixamos a certa passar. 

Conheço tanta gente que perde a pessoa certa por um complexo de inferioridade em pensar que não é digno da outra, tudo isso por falta de um coração cheio do espírito.
E quando se trata da nossa família? Nossos pais? Porquê muitos jovens não são felizes em sua casa? O seu pai e a sua mãe tem muitos problemas pra enfrentar, e as vezes a vida pode deixar neles um coração mais resistente que muitas vezes vai impedir de expressar o amor por você, e aí entendemos isso de uma forma bem diferente, vemos por uma carência como se fosse falta de amor e de valor por nós. Mas, sem dúvidas consiste em um grande engano porque o amor deles é reflexo do amor de Deus, então com certeza eles te amam muito, de uma forma inimaginável. Talvez eles consigam fazer isso de uma forma mais fácil com outras pessoas que não seja você, talvez expressem melhor em seus irmãos ou amigos, então é o jovem com o coração no Espírito Santo que deve fazer essa mudança para ser feliz com a sua família. Quando nosso comportamento revela a vontade de ser feliz e de amar intensamente nossa família aqueles que estão ao nosso redor serão tocados. Quando exalamos carinho, paciência e atenção com os nossos pais, mesmo que seja de forma pouco correspondida, funcionará como o mais potente “amolecedor de corações”. Nós devemos ser a mudança que queremos ver em nossa casa, se queremos que a felicidade chegue lá, devemos levá-la.

A felicidade não é um sentimento que se pode enganar. As vezes tentamos enganar a nós mesmo dizendo que somos felizes com coisas erradas, que o que vivemos é suficiente, mas o fato de não optarmos pelo caminho verdadeiro fará com que tudo isso se desmorone um dia. Todas aquelas lágrimas derramadas, quando você se viu de mãos atadas para realizar a sua felicidade, incapaz de dar sentido a sua vida que parecia sem razão precisam dar lugar agora a confiança em Deus. A felicidade que procuramos, o vinho que queremos na nossa vida será obtido pela ação daquele que tudo pode e que nos quer dar. 

Não podemos mais cultivar esse medo de se entregar a Deus, medo do que ele fará na minha vida, pois ele já garantiu que ele nos quer sorrindo. Seja feliz, seja de Deus!


Lucas Ramos

Por juventudeativa@hotmail.com

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

PALAVRA DA IGREJA: Dez conselhos de Bento XVI aos jovens

0 comentários

Dez conselhos de Bento XVI aos jovens




1) Conversar com Deus
“Algum de vós poderia talvez identificar-se com a descrição que Edith Stein fez da sua própria adolescência, ela, que viveu depois no Carmelo de Colônia: “Tinha perdido consciente e deliberadamente o costume de rezar”. Durante estes dias (de Jornada Mundial da Juventude) podereis recuperar a experiência vibrante da oração como diálogo com Deus, porque sabemos que nos ama e, a quem, por sua vez, queremos amar”.


2) Contar-lhe as penas e alegrias
“Abri o vosso coração a Deus. Deixai-vos surpreender por Cristo. Dai-lhe o ‘direito de vos falar’ durante estes dias. Abri as portas da vossa liberdade ao seu amor misericordioso. Apresentai as vossas alegrias e as vossas penas a Cristo, deixando que ele ilumine com a sua luz a vossa mente e toque com a sua graça o vosso coração.


3) Não desconfiar de Cristo
“Queridos jovens, a felicidade que buscais, a felicidade que tendes o direito de saborear, tem um nome, um rosto: o de Jesus de Nazaré, oculto na Eucaristia. Só ele dá plenitude de vida à humanidade. Dizei, com Maria, o vosso ‘sim’ ao Deus que quer entregar-se a vós. Repito-vos hoje o que disse no princípio de meu pontificado: Quem deixa entrar Cristo na sua vida não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Só com esta amizade se abrem de par em par as portas da vida. Só com esta amizade se abrem realmente as grandes potencialidades da condição humana. Só com esta amizade experimentamos o que é belo e o que nos liberta. Estai plenamente convencidos: Cristo não tira nada do que há de formoso e grande em vós, mas leva tudo à
perfeição para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a salvação do mundo”.


4) Estar alegres: querer ser santos

“Para além das vocações de consagração especial, está a vocação própria de todo o batizado: também é esta uma vocação que aponta para um ‘alto grau’ da vida cristã ordinária, expressa na santidade. Quando encontramos Jesus e acolhemos o seu Evangelho, a vida muda e somos impelidos a comunicar aos outros a experiência própria (…). A Igreja necessita de santos. Todos estamos chamados à santidade, e só os santos podem renovar a humanidade. Convido-vos a que vos esforceis nestes dias por servir sem reservas a Cristo, custe o que custar. O encontro com Jesus Cristo vos permitirá apreciar interiormente a alegria da sua presença viva e vivificante, para testemunhá-la depois no vosso ambiente”.


5) Deus: tema de conversa com os amigos

“São tantos os nossos companheiros que ainda não conhecem o amor de Deus, ou procuram encher o coração com sucedâneos insignificantes. Portanto, é urgente ser testemunhos do amor que se contempla em Cristo. Queridos jovens, a Igreja necessita autênticos testemunhos para a nova evangelização: homens e mulheres cuja vida tenha sido transformada pelo encontro com Jesus; homens e mulheres capazes de comunicar esta experiência aos outros”.


6) No Domingo, ir à Missa
“Não vos deixeis dissuadir de participar na Eucaristia dominical e ajudai também os outros a descobri-la. Certamente, para que dela emane a alegria que necessitamos, devemos aprender a compreendê-la cada vez mais profundamente, devemos aprender a amá-la. Comprometamo-nos com isso, vale a pena! Descubramos a íntima riqueza da liturgia da Igreja e a sua verdadeira grandeza: não somos os que fazemos uma festa para nós, mas, pelo contrário, é o próprio Deus vivo que prepara uma festa para nós. Com o amor à Eucaristia redescobrireis também o sacramento da Reconciliação, no qual a bondade misericordiosa de Deus permite sempre que a nossa vida comece novamente”.


7) Demonstrar que Deus não é triste
“Quem descobriu Cristo deve levar os outros para ele. Uma grande alegria não se pode guardar para si mesmo. É necessário transmiti-la. Em numerosas partes do mundo existe hoje um estranho esquecimento de Deus. Parece que tudo anda igualmente sem ele. Mas ao mesmo tempo existe também um sentimento de frustração, de insatisfação de tudo e de todos. Dá vontade de exclamar: Não é possível que a vida seja assim! Verdadeiramente não”.


8) Conhecer a fé
“Ajudai os homens a descobrir a verdadeira estrela que nos indica o caminho: Jesus Cristo. Tratemos, nós mesmos, de conhecê-lo cada vez melhor para poder conduzir também os outros, de modo convincente, a ele. Por isso é tão importante o amor à Sagrada Escritura e, em consequência, conhecer a fé da Igreja que nos mostra o sentido da Escritura”.


9) Ajudar: ser útil
“Se pensarmos e vivermos inseridos na comunhão com Cristo, os nossos olhos se abrem. Não nos conformaremos mais em viver preocupados somente conosco mesmo, mas veremos como e onde somos necessários. Vivendo e atuando assim dar-nos-emos conta rapidamente que é muito mais belo ser úteis e estar à disposição dos outros do que preocupar-nos somente com as comodidades que nos são oferecidas. Eu sei que vós, como jovens, aspirais a coisas grandes, que quereis comprometer-vos com um mundo melhor. Demonstrai-o aos homens, demonstrai-o ao mundo, que espera exatamente este testemunho dos discípulos de Jesus Cristo. Um mundo que, sobretudo mediante o vosso amor, poderá descobrir a estrela que seguimos como crentes”.


10) Ler a Bíblia

“O segredo para ter um ‘coração que entenda’ é edificar um coração capaz de escutar. Isto é possível meditando sem cessar a palavra de Deus e permanecendo enraizados nela, mediante o esforço de conhecê-la sempre melhor. Queridos jovens, exorto-vos a adquirir intimidade com a Bíblia, a tê-la à mão, para que seja para vós como uma bússola que indica o caminho a seguir.Lendo-a, aprendereis a conhecer Cristo. São Jerônimo observa a este respeito: ‘O desconhecimento das Escrituras é o desconhecimento de Cristo’”.


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

PAPO JOVEM: Ide e fazei discípulos entre todas as nações

0 comentários

Ide e fazei discípulos entre todas as nações





"A Jornada Mundial da Juventude em Madrid renovou nos jovens o chamado a serem o fermento que faz a massa crescer, levando ao mundo a esperança que nasce da fé. Sede generosos ao dar um testemunho de vida cristã, especialmente em vista da próxima Jornada no Rio de Janeiro”.

Essa convocação foi feita pelo Papa Bento XVI no anúncio do lema da Jornada Mundial da Juventude Rio2013: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), durante a audiência geral no dia 24 de agosto.

Para o padre Geraldo Dondici Vieira, diretor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, esse é um lema para ser guardado no coração, refletido e meditado. “Esse tema, de fazer discípulos, de chamar outros discípulos para a comunhão e o convívio com o Senhor, é o tema mais querido do Evangelho de Mateus. Esse mandato, essa missão já está anunciada em todo o Evangelho. E, na verdade, só faz discípulo quem já é discípulo, quem convive com o Senhor”, afirmou o sacerdote.

Padre Dondici ressalta que esse testemunho e o próprio anúncio do Cristo, são grandes desafios pra juventude, que vive em um mundo plural, com milhares de informações, seja através das escolas, lazer, internet, especialmente no contato com as redes sociais, como o facebook, twitter: “Com essas mil participações, ele, jovem discípulo, é chamado a plantar no coração de quem ele encontrar, com quem ele se comunicar, o desejo de ser discípulo de Jesus”.

“O que ganha o discípulo de Jesus? Ganha a pertença ao reino, ganha a certeza do amor de Deus, ganha a certeza de ser para os outros sinal de misericórdia e de amor. Ganha o levar e doar a paz do Senhor. São esses frutos e dons que o mundo muito precisa. O perdão, a misericórdia, a paz é que irão diminuir na sociedade, no mundo de hoje, a violência, a guerra, a corrupção, a maldade, tudo aquilo que tira a possibilidade do jovem crescer e colocar toda a sua riqueza e vitalidade a serviço da humanidade”, afirmou.

“Vivemos em um mundo onde há muitos desperdícios, perdas humanas, por falta de chance. O convívio com o Senhor desperta o que temos de melhor.

Na ocasião a catequese foi dedicada a JMJ 2011, que havia terminado no dia 21 do mesmo mês. Bento XVI recordou com carinho a participação e a alegria dos cerca de dois milhões de jovens em Madrid, ao que ele chamou de “uma formidável experiência de fraternidade, de encontro com o Senhor, de partilha e de crescimento na fé: uma verdadeira cascata de luz.”

Por isso é tão importante que os jovens do Brasil e do mundo assumam desde agora esse chamado à missão e participem da Jornada como testemunhas vivas do Cristo.

No mandato final do texto de Mateus – “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” –, explicou o padre, está um grande sonho antropológico de todos, de que o contato com o Senhor, a amizade com Ele, desperte o que cada um tem de melhor em si mesmo.

O anúncio ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’ é um anúncio para a vida toda. Em nenhum momento podemos fazer um intervalo dele, porque ele supõe que aquele que é amigo do Senhor, pela sua vida, pelo seu estar no mundo, comunique aos outros a luz, a beleza e a alegria de ser discípulo do Senhor.

Essa é a missão que a nossa Igreja precisa!